Relatos de amamentação

Conte seu relato de amamentação exclusiva de gêmeos ou mais. As histórias devem ser enviadas para o e-mail gemeos.multiplos@hotmail.com.

Vamos todas ajudar as outras mãezinhas com nossas experiênvias e dicas. 

Relato de amamentação de trigêmeos da Josiane Fraga

Tive trigêmeos, 3 meninos, e achei que nunca iria conseguir amamentar. No começo tudo é dificil, ainda mais com 3 bebês de uma só vez!  
Eu começava amamentando dois ao mesmo tempo e o outro na mamadeira, e ia fazendo revezamento a cada 3 horas para ninguém ficar sem o leite materno. Segui assim durante 5 meses, e como tomavam complemento na mamadeira, deixaram o peito com 5 meses mesmo. E agora somente mamadeira eles tem 1 ano e 1 mês!
 
**Relato de Josiane Fraga em março de 2016

Por Camila Munhoz

Outubro.2015

Felizmente aqui foram 26 meses, mas nem sempre foi fácil. Primeiro a barreira e o fantasma de que amamentar era quase impossível, e também por que em 2009 fiz uma mamoplastia redutora, então passei a gestação inteira com esses pensamentos, acreditando que não amamentaria. Mas também pesquisando, participando de grupos, me empoderando, tanto para um parto normal ( que não ocorreu) quanto para uma amamentação de sucesso e prolongada.

Nasceram meus meninos, estávamos no único hospital em Sorocaba com selo Hospital Amigo da Criança, sendo assim, a amamentação é incentivada já na primeira hora de nascidos, os dois bebês passaram 6 horas em contato pele a pele comigo, sem vestir roupas ( nós 3 ) para ali já iniciar o vínculo mamãe / bebê e também a amamentação. Ali caiu um dos meus medos, a cirurgia plástica não interferiu na amamentação, havia colostro nas duas mamas, que alivio, antes da alta hospitalar a fonoaudióloga nos faz uma consulta e nos mostra as possibilidades e posições para amamentar melhor, e assim fomos pra casa. Já em casa eu estava decidida que iriam mamar e não iria complementar, e assim foi, cansava muito, eram muitas e longas mamadas, mas o que cansava muito mesmo era sempre ter de estar me explicando para pessoas que não se importam e não sabem dos benefícios da amamentação. E assim seguimos 6 meses de amamentação exclusiva por livre demanda, e por mais 20 meses em livre demanda. Acredito que foi a melhor coisa que fiz por nós 3, todos sabemos dos benefícios, sabemos das recomendações da OMS, mas muitas vezes nos entregamos na primeira dificuldade. Tive mastite por 3 vezes e não desisti, peguei uma pneumonia e continuei amamentando, se a mãe acredita que pode alimentar seu filho ela o faz, e faz com o melhor alimento que pode existir na natureza. Amamentar bebês,  é uma das mais lindas fases da maternidade.

*Por Camila Munhoz

**Foto by fotógrafa Francine Pires

Meu relato de amamentação gemelar!

Por Tati Souza Autora Portal Gêmeos e Múltiplos!

Meus filhos nasceram prematuros (28 semanas e 3 dias) e no hospital eu tirava o leite no lactário do hospital pela bomba de leite.
Não foi fácil. Eu apesar de calma e tranquila, não produzia quase nada de leite. Bebia água, fazia tudo que me indicavam e nada!
Isso sim me deixava preocupada, afinal, por serem prematuros eles precisavam de meu leite. Graças à Deus que aqueles "50 mls" diário eram o suficiente para alimentá-los no início. 
Mesmo não ficando o dia todo no hospital, eu aluguei a bomba de tirar leite para tentar em casa, congelava e mandava para o hospital. O banco de leite do hospital ajudava e muito quando o meu leite estava em falta.
Muitos me falavam que quando aquelas boquinhas esfomeadas pegarem no peito eu produziria muito leite, pois isso que estimularia.
Amamentar! Nossa como esperei por este momento... Iniciei o peito com o segundo gemelar, o menino, já perto dos dois meses. Ele era bem preguiçoso para mamar, e mamava pouco. No hospital sempre tinham o complemento com leite materno doado, caso não desse certo a mamada com a mãe. Graças à Deus que tinha esta alternativa, eu pensava, meu filho estava sendo alimentado e saciado!
O leite materno é muito importante por sua composição de nutrientes e é considerado um alimento completo e suficiente para garantir o crescimento e desenvolvimento saudável dos bebês.
Já com a menina, a primeira gemelar eu iniciei o peito próximo dos três meses de vida dela. Ela foi impressionante. Pegou o peito com uma facilidade. Aí pensei, agora sim vou produzir o leite deles.
Engano meu... a produção do meu leite aumentou muito pouco. Fiquei triste, mas não deixei isso me abalar para não atrapalhar na produção.
Apesar dos estímulos, dos alimentos consumidos, da água ingerida... infelizmente a produção de meu leite não aumentou.
Eles tiveram alta, e com a prescrição médica comprei os leites anti-refluxo. Mas mesmo assim eu daria o peito à eles mesmo que fosse uma vez ao dia. E assim fiz. Eu não conseguia passar dos 100 mls diários. Sim eu estimulava, eu insistia, apesar do cansaço.
Minha sogra e mãe me ajudavam a cuidar dos gêmeos revezando entre elas. Enquanto eu dava o peito pra um + o complemento (leite AR pois tinham refluxos), uma delas dava o complemento para o outro. E assim eu tentava dar o peito pelo menos umas 2, no máximo 3 vezes para cada um por dia, mesmo saindo um pouquinho de nada.
Sim o cansaço consome a gente. E às vezes isso acaba atrapalhando. Sentia que eu precisava estimular mais... bebia água, me alimentava quando dava, mas comia bem, e evitava qualquer alimento que podia prejudicar na amamentação.
Somente o menino teve cólicas, por uns dias. Já a menina não teve muitas.
O G2 começou a rejeitar o peito dois meses depois de inciado o aleitamento. Ele já estava com 4 meses e pouco.
Já o G1 eu conseguia dar pelo menos uma vez ao dia o peito para ela. Não saía muito, mas eu dava.
Com quase 7 meses, eu já voltando a trabalhar, parei de amamentar.
Sim, lógico que fiquei chateada. Sentia que eu devia ter insistido mais, que eu tinha errado em algo... Que eu devia ter pedido mais assistência à algum profissional, que eu devia ter lido mais sobre este assunto... Enfim, me culpava. Mas depois, parando para pensar... eu percebi que apesar de tudo isso, meus filhos cresceram saudáveis e bem.
Sim o leite artificial não substitui o leite materno. Se eu tivesse tido uma produção bacana acho que iria com a amamentação até os 2 aninhos.
O leite materno tem muito mais nutrientes, ajuda na imunidade também contribui para o desenvolvimento emocional do bebê, pois promove uma forte ligação emocional com a mãe, transmitindo-lhe segurança e carinho e, ainda, contribui para o desenvolvimento psicomotor do bebê. O próprio ato de mamar promove uma melhor flexibilidade na articulação das estruturas que participam na fala e estimula também o padrão respiratório nasal do bebê.

Mesmo não tido muito sucesso com a amamentação gemelar, sou grata. Tenho muita gratidão à Deus por ter tido mesmo que um pouco, este prazer de amamentar. Gratidão por haver outras formas complementares que ajudou-os a se alimentarem. E principalmente pela saúde.
E você mamãe que não conseguiu, nunca se culpe, por qualquer que seja o motivo, tenho certeza que você fez o melhor para seus bebês.
Ninguém é mais ou menos por não conseguir amamentar seu bebê.
Muitas vezes as mulheres que não puderam amamentar tem uma história de luta. Quase todas as mulheres podem amamentar e quase nunca é fácil, ainda mais quando é mais de um bebê.

*Por Tati Souza

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!