Problemas relacionados à prematuridade

A prematuridade é um processo que afeta o desenvolvimento do bebê nascido antes de ter completado 37 semanas de gestação. Isso porque alguns dos órgãos internos do bebê podem não ter se desenvolvido completamente, e isso expõe o bebê à maior risco de sofrer determinadas complicações e problemas ao nascer.

- sistema respiratório tende a adaptar-se mal à respiração do ar ambiente e manifestar uma depressão respiratória logo na sala do parto, por isso muitos precisam da ajuda de aparelhos para respirar, como o CPAP;

- carência de surfactante (proteína produzida nos pulmões que permite que eles se encham de ar), com isso pode ocorrer as apnéias, displasia broncopulmonar, doença da membrana hialina e síndrome de Mikity-Wilson, atelectasia;

- risco de ter problemas neurológicos, como a hemorragia intracraniana e a depressão perinatal;

- complicação cardíaca, a mais comum é a persistência do canal arterial (PCA), ou ductus arterioso. No sistema cardiovascular pode estar presente a hipotensão (pressão arterial baixa para o fluxo de sangue), a hipovolemia (diminuição do volume sanguíneo), e, até mesmo, uma insuficiência cardíaca congestiva;

- Problemas metabólicos, como a hipoglicemia (redução de glicose no sangue), hipocalcemia (deficiência de cálcio no organismo), acidose metabólica (excesso de acidez no sangue) e osteopenia (diminuição da massa óssea);

- sistema digestório imaturo, o que pode ocorrer complicação intestinal grave , por isso deve-se ter cuidados com relação à prevenção da enterocolite necrosante (doença pela qual a superfície interna do intestino sofre lesões e se inflama);

- problemas hematológicos frequentes, como a anemia e a apresentação da hiperbilirrubimemia (alta de bilirrubina no sangue), necessitando da fototerapia (banho de luz);

- os rins imaturos possuem deficiência na filtração glomerular e uma dificuldade de metabolizar volumes de água, solutos e ácidos. Os bebês acabam retendo líquidos, o que os deixam mais inchados.

- suscetíveis a hipotermia (temperatura corporal abaixo de 35°C), e a hipertermia (temperatura corporal muito alta), caracterizando-se, então, em uma imaturidade do mecanismo de regulação térmica;

- deficiência tanto na resposta humoral (processo de defesa do organismo em que atuam os anticorpos) quanto celular, o que aumenta a vulnerabilidade de infecções;

- problemas oftalmológicos, como a retinopatia da prematuridade.

Lembro que quando meus gêmeos estavam na UTI o que eu mais ouvia era que tal complicação "era normal devido a prematuridade" e que "os órgãos deles são muito imaturos ainda". Ouvir isso não é música para os ouvidos dos pais, mas infelizmente era a realidade diante de nossos olhos, e não havia como fugir disso. Hoje devemos muito à medicina e à alta tecnologia, pois com estes avanço s nossos prematurinhos têm todo o suporte que necessitarem quanto às complicações que eles têm ao nascer. Eles são mais fortes do que imaginamos.

Por Tati Souza

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!